Be kind to yourself

Sabem aqueles dias em que nada encaixa, tudo vos parece esbofetear e só querem encolher-se na cama e taparem-se com os cobertores?

Pois, diz que todos os temos.

Para mim, muitas vezes essa frustração nasce da minha necessidade de compor, corrigir, tentar reparar tudo o que está errado. Quando estou triste, não é fácil para mim aceitar que estou triste, estou sempre a tentar arranjar outra forma de lidar com as coisas… o que resulta quase sempre em ficar irritada em vez de triste.

Estou sempre a dizer que a grande diferença entre mim e o O. é que eu sou altamente emocional e que ele é muito mais racional. Para ele é normal estar triste e nem sempre quer que eu tente animá-lo. O que para mim é muito difícil de compreender. Porque é que alguém havia de querer ficar triste? Mas, a verdade é que não posso argumentar com a lógica de que se não estivessemos tristes de vez em quando, como é que saberíamos o que é estar feliz?

Quando as pessoas ficam a saber que estou na Suécia, o primeiro comentário tem a ver com o clima: o frio. Sim, é um desespero, mas como os suecos dizem “não há mau tempo, há má roupa.” A minha resposta é sempre a mesma: o frio é chato, sim, mas o pior é a escuridão. Nunca pensei que me afectasse tanto.

Muitas vezes, nem sei bem por que é que estou chateada ou por que é que estou triste. Depois vou descascando as razões e percebendo que estou com saudades dos meus pais, dos meus amigos, dos meus animais, do sol! E é normal. Eu só tenho de saber aceitar que há dias melhores e há dias piores.

Há algumas coisas que podemos fazer para nos sentirmos melhor. Por isso aqui ficam algumas sugestões para criar um penso rápido para a tristeza.

  • ligar aos papás e falar com eles;
  • conversar com os amigos (messenger conta);
  • ver fotos e vídeos dos animais (pode causar ainda mais saudade);
  • deixar que alguém te abrace, que te diga que não estás estragada e que é normal estar triste;
  • tomar um banho quente e/ou beber uma caneca de chá;
  • pensar nas coisas boas que tens, focar no bom (eu sei que não é fácil)

Se mesmo assim ainda estiveres, meio macambúzia (já sei que me estou a meter em sarilhos para traduzir esta palavra), pega no telemóvel, vê uns vídeos no youtube. Põe uma série divertida na tv: Big Bang Theory é o meu segredo. Escolho um episódio ao calhas e 25 minutos depois, pelo menos dei por mim a sorrir.

P.S. – não há razões estúpidas para se estar triste, ou chateada. O O. ensinou-me que tudo o que sentimos é válido e que não tem de ser julgado por ninguém, nem por nós próprios.

P.S.S – muitas vezes os mais duros juízes somos nós próprios. Be kind to yourself. 


 

You know those days when nothing seems right, reality is slapping you in the face, and you just want to crawl back to bed and cover yourself with some blankets?

Well, they say we all have it.

For me, this frustration often comes from my need to fix things, to fix everything that is wrong. When I am sad, it’s not easy for me to accept that I am sad, I am always trying to find another way of dealing with things… which almost always results in me being annoyed and frustrated instead.

I always say that the big difference between O. and me is that I am highly emotional and that he is much more rational. It’s normal for him to be sad and he often doesn’t want me to try to cheer him up. Which is very difficult to understand, for me. Why would anyone want to be sad? But the truth is that I can not argue with the logic that if we were not sad from time to time, how would we know what it is to be happy?

When people find out I’m in Sweden, the first comment has to do with the weather: the cold. Yes, it’s freaking cold, but as the Swedes say “there’s no bad weather, there’s only bad clothing.” My answer is always the same: the cold is boring, yes, but the worst is the darkness. I never thought it would affect me so much.

Most of the time, I’m not even sure why I’m upset or why I’m sad. Then, when I strip the reasons I end up realizing that I miss my parents, my friends, my animals, the sun! And it’s normal. I just have to know – and accept – that there are better days and worse days.

But there are some things we can do to make ourselves feel better. So here are some suggestions to create a quick fix for sadness.

– Call your parents and talk to them;
– Chat with your friends (messenger or similar still counts);
– See photos and videos of your animals (may cause even more nostalgia);
– Let someone hug you and tell you that you are not ruined and that it is normal to be sad;
– Take a shower and/or drink a cup of tea;
– Think about the good things you have, focus on the good (I know it’s not easy).

If you still are feeling in a bit of a rut, get your phone or tablet or computer and watch some funny videos on youtube. Or put a fun series on tv: Big Bang Theory is my secret. I choose a random episode and 25 minutes later I find myself smiling.

P.S. – There are no stupid reasons to be sad, or upset. O. taught me that everything we feel is valid and it is not to be judged by anyone.

P.S.S – often the toughest judges are ourselves. Be kind to yourself.

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s