Bus stop talk

Sempre me disseram que as pessoas aqui são bastante reaservadas no que toca a falar com estranhos.  Até na aula de sueco vimos um vídeo que explicava isso mesmo: normalmente não se fala com estranhos nas paragens de autocarros.

Mas hoje tive uma experiência diferente. Enquanto esperava pelo autocarro, um homem comentou comigo que o painel com os minutos devia estar estragado. Sim, eu percebi tudo, ou quase tudo do que o senhor disse. Não questionem!

A primeira reacção foi de pânico, portanto perguntei:

– Vad så du? – que quer dizer “o que é que disse?”.

Ele repetiu que o autocarro não aparecia e começou a falar mais rápido. Perdi o fio à meada, portanto pedi:

– Kan du repetera långasmt? – que é como quem diz “pode repetir isso tudo, mas agora devagar?”.

Ele sorriu e perguntou se eu ia apanhar o autocarro para ir para a escola (há um polo da Universidade de Chalmers muito perto de nós). Eu respondi:

-Nej, till jobb. – ou em Português “não, para ir para o trabalho”.

Ele continuou a falar, pediu-me desculpa por achar que eu ía para a escola (tudo bem, não conheço nenhuma mulher que se chateie por passar por mais nova) e explicou-me que apanhava aquele autocarro para ir até à pré-escola buscar a filha, em Majorna.

Por fim, para acabar com a conversa, o autocarro apareceu e eu apontei e disse:

– Det kommer. – Sueco para “vem aí”.

No geral, foi uma boa experiência, sou uma crianca de 5 anos a formular frases de 3 palavras sobre pressão – juro que consigo fazer melhor – mas acho que podia ter sido pior!   

  

I´ve been told that people here are quite shy when it comes to talking to strangers. Even in Swedish class we saw a video explaining exactly that: they usually do not talk to strangers at bus stops.

But today I had a different experience. While waiting for the bus, a man commented with me that the panel with the estimated time of arrival was malfunctioning. Yeah, I understood everything, or almost everything of what he said to me. I swear!

My first reaction was panicking , so I asked:

– Vad så du? – Which means “what did you say?”.

He repeated that the bus was not on time and began to speak faster. At this point I must confess I lost track of what he was saying, so I asked:

– Kan du repetera långasmt? – That is to say “can you repeat slowly?”.

He smiled and asked if I was goint to take the bus to go to school (there is a campus of Chalmers University very close to us). I answered:

-Nej, Till jobb. – or in English: “no, to go to work”.

He continued to speak, apologized to me because he thought I was going to school (I do not know of any woman ever being upset to look younger) and explained that he usually takes that bus to go and pick up his daughter in her preschool, in Majorna.

Finally, to end the conversation the bus appeared down the road and I pointed  at it, saying:

– Det kommer. – Swedish for “is coming.”

Overall it was a good experience, I feel like a five-year-old child formulating 3-word sentences, when under pressure – I swear I can do better – but I think it could have been worse!

Anúncios

2 thoughts on “Bus stop talk

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s